Encontro dos 25 Anos.

A VI Turma de Agronomia de Dourados completa 30 anos de formatura.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Mineiro

Olá amigos e amigas!
Após 25 anos muita coisa aconteceu com cada um de nós, acredito que em muito influenciado pelo aparente curto tempo em que convivemos na faculdade. Foi um período valoroso e marcante para mim que optou em ir morar longe das geraes, da família e das raízes...
Foi um desafio encarado aos 18 anos, com quase nada idealizado e menos ainda na mochila jeans que me acompanhou durante muitos anos.
Hoje moro em Brasília, mas com certeza, sou um Mineiro sul-mato-grossense, ali meus filhos nasceram e aprenderam a amar a cultura fronteiriça, pantaneira, cerradista, enfim... Meus pés também são marcados pela terra roxa...
Considero-me um cidadão comprometido em melhorar nosso país, mas quero contribuir no agora e deixar um mundo melhor não apenas para meus familiares, mas também para as comunidades que enriquecem e engrandecem nossa terra, como as variadas etnias indígenas que ali vivem,  ribeirinhos, pescadores, trabalhadores rurais e urbanos. Este tem sido o foco principal de minha atuação profissional nesses últimos anos...
Sou casado com minha companheira Jade e temos 3 lindos filhos: Kauê tem 21 anos faz Biologia Marinha em SC, Paloma tem 15 é a nossa Estrela Especial e termina agora o ensino fundamental, e o Yago tem 13 é o caçulinha e xodó de todos.
Trabalhei na Empaer, Assembleía Legislativa, Idaterra, Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Agraer, Ministério da Pesca e Aquicultura e agora no Senado Federal...
Tenho certeza que a amizade que construímos se fortaleceu à medida que cada qual com sua trajetória fez o que tem de melhor...Abraços até o dia 09 de dezembro de 2011.
Valteci Mineiro Beraba

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Marcos Aurélio Farinazzo

Já que insistem... Vou contar um pouco de minha trajetória depois da facul...
Bom.. saído de Dourados fui direto para Maracajú, trabalhar na Seiva (empresa de planejamento), fiquei alguns meses, onde a atividade principal era ser responsável técnico pela produção de sementes de um grupo de agricultores holandeses (Cren e outros). De lá fui para a CAC (cooperativa Agrícola de Cotia) o mané nos apresentou para os japas (bela apresentação!!). Lá trabalhava no setor de Defensivos Agrícolas, para alguns pode ser Agrotóxicos!!! Fiquei na região Oeste de SP (Adamantina, Irapuru, Pacaembu, Mirandópolis, Jales e etc). Fizemos muitos ensaios com venenos, até em código, foi onde conheci o pessoal da Merck Sharp, que na época fizemos ensaios com o Vertimec em melancia e outras culturas (acho que até hoje não tem registro, mas era muito utilizado). Fiquei 9 meses, mas um gringo (peruano - FDP) mandou-nos embora!!!, pois as vendas estavam fracas, mas também vender vertimec para produtor pequeno de algodão!!! só na cabeça deles!!. Fui para a capital SP e por lá fiquei 4 anos fora da atividade!!!
Num belo dia vi um anuncio em jornal oferecendo emprego para Agrônomo em Curitiba, na empresa Agrodata! fui lá ver do que se tratava,, fui contratado para fazer videos técnicos agropecuários!!! Não sabia em onde se apertava o botão para da REC numa camera!! Mas milagre acontece e aprendemos tudo da área. Fomos nós Agrodata que fornecíamos praticamete toda a programação técnica do Canal Rural!! Foi na Agrodata que conheci minha esposa, Sirlei Herpich (alemoa de marechal candido rondon). A empresa entrou em falência, mas eu e minha esposa, Sirlei, compramos a massa falida e continuamos até hoje o negócio! temos a marca Agrodata e a Videopar. Já tivemos parceira com o Canal do Boi, SBT (onde todas as imagens do extinto programa SBT Rural erámos nós que fornecíamos).
Não paramos de produzir, o mercado sempre está à procura de lançamentos!!! Por isto quem ai quiser produzir um video sobre sua atividade(rural), quem sabe podemos conversar...vejam nosso site: www.videopar.com.br
Na foto Marcos com a esposa Sirlei e os filhos Vitor (11 anos) e Vinícius (8 anos).

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Nosso bosque dos 25 anos

Pessoal, a ideia do plantio de uma árvore para comemorarmos nossos 25 anos de formados evoluiu para o plantio de 39 árvores, além do Jatobá. A propostas é implantarmos um pequeno Sistema Agroflorestal e já temos a oferta do Vadinho com 32 espécies: Amendoim, Amoreira Brava, Angico Branco, Aroeira, Braúna, Bolera, Canafístula, Capitão, Capixingui, Castanheira, Cavalinha, Cedro, Cumbaru, Farinheira, Genipapo, Goiaba vermelha, Grevilha, Ingá Boi, Ingá de Bagem, Ipê amarelo, Ipê roxo, Jatobá, Palmeira, Para-tudo, Pau-ferro, Pau-óleo, Peroba, Piriquiteira, Pitanga, Santa bárbara, Tamburi e Timboré.
Deu até vontade de ouvir a música do Xangai: Matança, também conhecida por Jatobá. Essa música fala de 41 espécies.

domingo, 27 de novembro de 2011

João Bosco Araujo Teixeira

 MEUS CAROS AMIGOS DA AGRÔNOMIA, SE DEUS QUISER, SERÁ MUITO BOM PODER REVER PARTE DOS COLEGAS NO NOSSO ENCONTRO DE VINTE E CINCO ANOS DE FORMATURA.
TIVE A OPORTUNIDADE DE ENCONTRAR O OSVALDÃO EM COXIM, POIS O MESMO GOSTA MESMO É DE PESCAR, E ELE COGITOU A POSSIBILIDADE DESTE NOSSO ENCONTRO, PORÉM, ALGUNS DIAS DEPOIS O PAULO GUILHERME LANÇOU A IDÉIA O QUE FOI UMA ÓTIMA E TREMENDA COINCIDÊNCIA.
ATUALMENTE ESTOU MORANDO NA CIDADE DE COXIM MS ONDE TRABALHO NA AGRAER MS, VOLTADO PRINCIPALMENTE AO ATENDIMENTO DE AGRICULTORES FAMILIARES.
EU E MINHA ESPOSA ELCIA TEMOS DOIS FILHOS, O PEDRO DE 21 ANOS QUE ESTÁ CURSANDO O QUARTO ANO DE DIREITO NA UCDB E O MATEUS DE 16 ANOS QUE ESTÁ NO SEGUNDO ANO DO ENSINO MÉDIO.
NA ATIVIDADE AGRÔNOMICA MINHA PRIMEIRA EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL FOI PLANTAR UMA LAVOURA DE SOJA DE 10 HA MAIS O NOSSO COLEGA MILTON NUM BAIRRO DE CAMPO GRANDE, E O RESULTADO FOI BOM DEMAIS, PAGAMOS O EMPRESTIMO DO BRADESCO E ITAU E FOMOS PROCURAR OUTRA OPÇÃO DE TRABALHO, MAS VALEU A EXPERIÊNCIA.
 VOLTEI PARA PEDRO GOMES E NÃO SATISFEITO PLANTEI ARROZ, SORGO, FEIJÃO, BANANA MAÇÃ, MAMONA E NÃO SATISFEITO AINDA CRIEI SUINOS (UM BICHIM PARECIDO COM PORCO),  NO FINAL ME ELEGI VEREADOR POR UM MANDATO, INTITULADO COMO REPRESENTANTE DO MEIO RURAL.
FIZ UMA PÓS-GRADUAÇÃO EM GEORREFERENCIAMENTO DE IMÓVEIS RURAIS E ATUO TAMBÉM NESSA ÁREA DA TOPOGRAFIA.
E PARA NÃO LARGAR A ATIVIDADE DE AGRICOLINO ESTOU COM UMA PLANTAÇÃO DE SERINGUEIRA EM PEDRO GOMES EM PARCERIA COM MINHA IRMÃ QUE É VETERINÁRIA, AGORA VAI...
FINALIZANDO VOU LEVAR O LIVRO ATA COM A PRESTAÇÃO DE CONTAS DA FORMATURA PARA SER ASSINADO POR TODOS NESTE NOSSO ENCONTRO.
E NA VIDA SEM NENHUMA SURPRESA, A MESMA SEGUE....
“NADA DO QUE FOI SERÁ DE NOVO DO JEITO QUE JÁ FOI UM DIA... TUDO PASSA E TUDO SEMPRE PASSARÁ”
UM GRANDE ABRAÇO E ATÉ DOURADOS.

sábado, 26 de novembro de 2011

Video da Formatura

Segura o coração !!!!
A imagem não está tão boa, mas vamos lembrar que 25 anos se passaram.
Vou editar outras partes e quem sabe o Marcão não ajuda.

A nossa soja

Pessoal, certamente que o plantio da soja foi a nossa principal promoção para arrecadar recursos para nossa formatura. Como já faz muito tempo não tenho lembranças de todos os fatos. Lembro-me que foi na Fazenda JK, do Seu Celso, pai do Fernando. Lembro-me do dia em que fomos levar os insumos para o campo: estava chovendo muito, mas o ânimo era tanto que para convencer a todos eu afirmava que o céu estava branquinho. Bom, naquela época o plantio convencional era maioria e não existia soja transgênica, como também não havia tanta doença. Do que vocês se lembram?

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Vânia Mara Negrão Alexandre

Amigos!!!! Lembram de mim?

Estou desde 1983 na Universidade. Só de Agronomia foram 23 anos, como secretária do curso. Hoje estou há 6 anos na UFGD, como chefe da Divisão de Estágios e Programas. Sou mãe da Rafaela, com 18 anos (tentando passar no vestibular de Medicina) e da Vitória com 14 anos (concluindo o 1º ano do Ensino Médio). 

Agradeço de coração a todos os amigos pela lembrança. Obrigado pelos gestos de carinho de cada um. É muito bom contar com vocês!!!! Valeu galeraaaaa. Bjos a todos!!!


quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vadinho

Olá “Moçada”!
 Continuamos aqui em Dourados. Trabalhamos com várias áreas da Agronomia nesses 25 anos. Vladis e Eu temos 2 filhos – Valoê (20) e Vadim (18), estudantes da UFGD, ela faz Letras e ele Agronomia.
Trabalhamos com Apicultura faz 20 anos, Apiários e Viveiro de Mudas Nativas CARBONARI. Até hoje temos parcerias na UFGD: com a Professora Nauzira desenvolvemos o Hidromel – Vinho de Mel desde 2004, com o Professor Valter da Faculdade de Ciências Biológicas temos o projeto de Seleção e Melhoramento Genético com Abelha Rainha desde 1999 e com o Professor Euclides da Faculdade de Zootecnia em projeto de extensão rural com Apicultura desde 2009.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Elda Barrios de Azambuja Silva

"Eu, meu esposo Baiano e minha filha Kaline. Estou na Universidade há 31 anos, trabalho com as Professoras Nausira e Beatriz, no Laboratório de TPA. Atualmente além das aulas práticas, meu trabalho está relacionado com histologia vegetal. A saudade desta turma é imensa, pois os momentos de amizade e companheirismo foram únicos.  Estou alegre e muiiiiiiiito ansiosa por este reencontro. Beijos a todos. Elda".

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Pé de Cedro

A lembrança desta música veio do Ênio, ao propor o plantio de um "pé de cedro" em homenagem ao nosso colega Biscola. Reza a lenda que o Bibi teria alterado o final de letra da música dando-lhe um sentido etílico ou hortícola. Fica aqui já a nossa homenagem.
A história desta música você pode ver clicando aqui.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Fala Gaúcho

Com este bordão, Seu Ximenez, 82, cumprimentava a todos no RU do NECA, comandando o atendimento no balcão, enquanto Dona Dalmira, 74, comandava a equipe da cozinha na preparação do almoço (em por alguns períodos, o jantar), além das chipas paraguaias servidas no café da manhã e da tarde. Aliás, esta é uma característica especial dessa família. Eles vieram de Bela Vista – MS, sendo descendentes de paraguaios e espanhois, chegando à Dourados em 1967.  Eram proprietários do Restaurante Panela Preta, aonde vários colegas também faziam suas refeições, especialmente nos finais de semana, tornando-se um ponto de encontro de muitos que estudavam no antigo NECA. Depois de tanto tempo, o bordão FALA GAÚCHO continua presente na nossa memória auditiva e às vezes eu o uso com não gaúchos, o que, certamente, eles não compreendem. Mas tudo bem, nós sabemos o motivo, certo gaúcho?

domingo, 20 de novembro de 2011

Wilson Geraldo Pereira Jr


"Pessoal, precisamos conversar, já faz algum tempo que não nos falamos.
Não estou mais em Araraquara - SP, sai da Usina Zanin, que foi vendida para o Grupo COSAN/RAIZEN.
Iniciei minha vida profissional em Araçatuba/SP (Usina Destivale S. A.: 1.987/1.990). Posteriormente, com o objetivo de buscar experiência e conhecimento em outras áreas, fui trabalhar em Guararapes/SP, em uma empresa de projetos e assistência agropecuária (Laborplan: 1.990/1.992), para atendimento a produtores rurais (tomate e feijão irrigado, milho, soja, sorgo, cebola, alho, abacaxi e maracujá), sendo que paralelamente também trabalhava em uma Cooperativa de Prestadores de Serviços para atendimento a COSESP (Companhia Seguradora do Estado de São Paulo), em vistoria de sinistros
Eu, voltei para Araçatuba - SP desde novembro/10, estou como gerente agrícola da Usina Unialco, em Guararapes - SP, próximo de Araçatuba, onde moro. No ano de 2.000 concluí o Mestrado em Sistemas de Produção, na UNESP.
A minha filha Carol está morando em Araraquara com a mãe dela (Christiane), está fazendo Odontologia. Meu filho Wil, está fazendo agronomia em Lavras - MG, entrou agora no meio do ano.
Irei sim ao Encontro, eu e minha esposa Ana Paula e talvez (espero) os meus filhos (Carol e Wil), pois terão aulas e provas até o início de dezembro. A data para o encontro é boa, só gostaria que houvesse mais participação e interesse do pessoal, diferente da última vez. Grande abraço. "

sábado, 19 de novembro de 2011

Os acessos ao nosso blog


Visualizações de página por país
Brasil
2.347
Japão
120
Estados Unidos
101
Rússia
71
Alemanha
69
Canadá
2
Índia
2
Reino Unido
1
Indonésia
1
Paraguai
1

O avião

Não sei se todos conhecem essa história. Mas nós tínhamos um aviador na turma, isso mesmo. Ele pilotava um avião igual ao da imagem ao lado: Bonanza V 35. E os horários dos voos, reza a lenda, eram os mais inusitados, incluindo o noturno. Contam até que ele pensou em largar o curso de Agronomia para fazer um curso de piloto de jato! Alguém sabe de quem estou falando?

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Camila

A  nossa  História

A minha história não sei se devo contar,
Pelo menos a minha, devo ocultar,
Pois a nossa se faz necessário abordar
Nesse blog que estará sempre no ar,

Saindo da escola para trabalho buscar,
Entrei numa fila onde pude parar,
Nessa fila estava um japonês a buscar,
Um jovem talento querendo trabalhar.

Opções não faltaram, o que faltava era ganhar,
Dessa forma muito rápida comecei a lutar,
De um lado pra outro me mandaram andar,
E na pesquisa continuei até hoje chegar.

Nesse mundo que andei cheguei a levar,
Alguns dos colegas que conheci nesse lugar,
Mas a vida caminha sem nos revelar,
O destino nos chega pra vida selar.

Finquei minha estaca onde estou a morar,
Com unhas e dentes agarrei meu penar,
Os  anos pensaram em acelerar
E a minha alegria voltou a reinar.

Estava sozinho sem bem não estar,
Pois linda família hoje vivo a ganhar,
Mas da minha turma poucos tinha no olhar
E breve os verei se o bom Deus me deixar.

Sei que todos vão bem  nesse mundo a vagar
O destino nos leva pra onde tem de levar
Cada um se anime com o bem a chegar
Pois no próximo mês vamos nos encontrar

Eu queira poder muito mais eu falar
Nessas linhas que hoje eu escrevo sem par
Mas na aurora do próximo mês vou gritar
Bem pertinho de todos, que vocês vou sempre amar.

Hoje tenho trabalho não posso parar
Muitas coisas eu fiz nesse mundo lidar
Cantei, discursei, pesquisei sem parar
No teatro andei muitos fiz eu, gritar

Mas de tudo que passo no meu caminhar
As lembranças me levam bem devagar
Aos tempos de antes onde os tinha no olhar
Não querendo que o hoje pudesse apagar.

Beijos,
Camila.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

O Churrasco

Definido o local da nossa festa de 25 anos de formatura. Os colegas Fernando e Márcio estiveram lá e reservaram o local: Kanoa Restaurante e Pesqueiro (click). Fica na BR163, próximo ao Parque de Exposição. Vamos prestar atenção em alguns colegas, pois me lembro de um que tentou nadar num lago de uma chácara e teve de ser resgatado, se lembram?

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Nova árvore


Definida a espécie da nossa árvore comemorativa dos 25 anos de formatura: Hymenaea stigonocarpa, ou Jatobá, ou também Jataí. Click aqui para saber mais sobre esta espécie. A definição foi baseada no projeto de arborização do campus, que é coordenado pela nossa professora Yara. O Milton propôs também plantar uma muda de Achachairú (click) que originou-se de umas sementes que o Eduardo trouxe para ele de Santa Cruz de Sierra - Bolívia, aonde seus frutos fazem muito sucesso. Já o Ênio sugeriu plantar um Cedro em homenagem ao Biscola, e o Abrahão sugeriu a formação de um bosque da turma. Estamos verificando isso com a professora Yara.





O colega Márcio e sua companheira Izabel estão providenciando o plantio e a identificação das árvores. Veja também o local que foi definido para ser feio o plantio da nova árvore: excelente, não acham?

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Repúblicas


Hoje, dia da República, vamos lembrar das nossas do tempo da faculdade. Sair da casa dos pais para estudar numa faculdade pública: este ainda é um sonho de muitos jovens e foi o nosso também.  E por algum motivo os calouros, que não se conheciam,  se juntavam para dividir as despesas numa República, do latim, coisa pública. Tudo dividido, tudo compartilhado e a casa nova ia se formando, cada um levava alguma coisa: um fogão, uma geladeira, uma televisão e um rabo de arraia, é isso mesmo, por mais estranho que pareça ser.  Elas se tornaram ponto de encontro, de festas, ficando famosas na cidade. Algumas recebiam nome, por exemplo: Dureza, Tuia, Tocaia, Sashimi eAmoribunda. Tomei emprestado esta marca de outra república para lembrar a nossa de Dourados e também um vídeo da XXVI Turma (só 20 depois da nossa), pois na nossa época nem celular existia!!! Vejam até o final, pois tem gente conhecida nossa.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Menina Veneno

Tá certo, Jorge, nossa trilha sonora não foi feita somente de músicas regionais. Tem lugar também para Menina Veneno:
"Ritchie nasceu na Inglaterra e, filho de militar, morou em vários lugares do mundo. Até que, em 1972, conheceu em Londres um grupo de músicos brasileiros, entre eles o baixista e produtor musical Liminha, que o convenceram a vir para o país. Naquela década, formou com Lobão, Lulu Santos, Luiz Simas e Fernando Gama a banda Vímana, que chegou a gravar um compacto para depois se desfazer e lançar seus integrantes em vitoriosas carreiras-solo.
"Menina Veneno" chegou às rádios brasileiras em 14 de fevereiro de 83. A faixa, produzida por Liminha, que também toca o baixo e a guitarra, se transformou num extraordinário sucesso, apresentando ao pop-rock nacional uma nova estética e deflagrando a improvável popularidade deste talentoso gringo.
Lançada a princípio em compacto simples, "Menina Veneno" puxou o sucesso comercial de "Vôo de Coração", primeiro disco solo do cantor, que vendeu mais de um milhão de cópias naquele ano a bordo também de outros hits como "A Vida Tem Dessas Coisas", "Pelo Interfone" e "Casanova".
Já estouradíssimo, ele compareceu ao "Globo de Ouro" em abril de 83 para cantar este clássico, ainda irresistível, mais de 25 anos depois."

Elvis Gutierrez

Colegas de Dourados,

Que satisfação poder revê-los.
Atualmente resido em Campinas (SP). 
Depois da Universidade, ingressei no Banco do Brasil e fiz pós-graduação na área financeira.
Trabalhei em diversas Cidades (Nova andradina (MS), Primavera (SP), Brasilia (DF), São Jose do Rio Preto (SP), Potirendaba (SP), Sta. Bárbara D' Oeste (SP), etc).
Atualmente sou Gerente Geral da Agencia Central do BB em Campinas. Antes, gerenciei a Centro Ribeirão Preto e a Centro Limeira.
Tenho duas filhas, a Leticia (advogada formada pela Unesp) e a Larissa (cursa Eng. Civil na USP São Carlos).
A Cidinha, minha esposa, tem familia em Dourados e trabalha com distribuição de Semi-Joias.
Estaremos juntos em Dourados.
Paulo, parabéns pela iniciativa do encontro.
Abraço, Elvis.

domingo, 13 de novembro de 2011

É Aroeira


Schinus terebinthifolius Raddi, deve ser esta a espécie da nossa árvore plantada em 1986, há 25 anos, quando da nossa formatura no curso de Agronomia de Dourados, então UFMS.
O colega Márcio Giurizatto fez uma busca e localizou-a próxima ao auditório, como várias se lembravam. É uma aroeira, espécie muito resistente e atualmente protegida devido ao seu uso predatório.  
No dia 09/12 vamos instalar uma nova placa nesta árvore e plantaremos a segunda árvore comemorativa aos 25 anos. A espécie está sendo definida com a colaboração da coordenação do curso, pois existe um projeto de arborização do campus universitário.

sábado, 12 de novembro de 2011

Castelânea

Pessoal, as mensagem que vocês estão enviando estão me deixando com mais saudades! Já fico pensando que o tempo será curto para tanta história, do passado. Foram só 4 anos e depois mais 25 anos.
Esta música é do Carlos Colman, de Mato Grosso do Sul. Acho que não a conheci pelo Milton. É uma filosofia de vida e fala de amigos e das coisas simples da vida. O número de visitas estava em 1986 quando estava escrevendo esta postagem!!!!  Abraços.

Verane Surek


Então...desde do término da faculdade tive várias experiências profissionais. A primeira foi a  Escola Agrotécnica de Presidente Venceslau - SP, minha terra,  depois  trabalhei numa empresa de planejamento em Céu Azul – PR, terra do Severino, meu companheiro e também ex-aluno do curso de agronomia de Dourados. Voltando para o MS, trabalhei por treze anos em fazenda, depois na Prefeitura Municipal de Nova Andradina, mais  dez anos de Departamento de Meio Ambiente na empresa Frigorífico Independência,  atualmente no Curtume Viposa e, novamente na educação, no curso Técnico em Agronegócio. De estudo, fiz um MBA em Agricultura Biodinâmica.
Bem! Vocês já sabem que o Severino é meu par, ele fica solito lá no "sertão" e, nos finais de semana, ele vem me buscar na cidade. Depois de tanto tempo, a vizinhança ainda está se acostumando com nosso jeito meio ecológico de fazer as coisas e nos chamam de "pessoal da poesia"....rsrsrsrs.  Gente! Nós vamos fazer o máximo pra estarmos nessa festa. Ah! Continuamos só nós dois ....a reprodução faiô!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Flores Astrais

Hoje, 11/11/11 vamos lembra que na trilha sonora da nossa colação de grau estava Flores Astrais, do conjunto Secos & Molhados, que tinha como integrante Ney Matogrosso, de Bela Vista - MS. Esta música foi apresentada pelo Coralito. Ela é muito sonora e conta com uma letra simples:

Um grito de estrelas vem do infinito
E um bando de luz repete o grito
Todas as cores e outras mais
Procriam flores astrais
O verme passeia na lua cheia

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Chico Mineiro

Tá aí, lembrança vem, lembrança vai e a trilha sonora da vida nos faz lembrar dos momentos felizes que passamos na faculdade. Esta boa lembrança se deve, novamente, ao colega Milton, que cantava seguidamente esta música de Tonico e Ticono (para saber a história da música, clik aqui). Como a letra da música fala em Chico Mineiro e Goiás, é claro que eu e o Mineiro estávamos sempre perto para estragar a música. Bons tempos aqueles.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Osvaldo Franco

"Pessoal, achei muito boa a iniciativa de fazer um encontro para comemorar os 25 anos de nossa formatura, rever a galera e matar as saudades.

Moro em Chapadão do Sul e sou Gerente Agrícola de uma usina Sucroalcooleira. A agropecuária aqui na região de Chapadão do Sul tem apresentando bons resultados, fazendo com que a região tenha uma qualidade de vida destacada no Estado.

Tenho 3 filhos e 1 neto. O Luiz Fernando tem 21 anos e faz o 2º ano de Agronomia na UFMS. A Thays Alessandra, acaba de passar em Odontologia na PUC de Curitiba e a Ana Carolina, faz o 2º colegial em Campo Grande e quer cursar medicina.

O João Pedro, meu neto e grande xodó, está completando 2 anos.Vejam que muleke de sorte: Nasceu em 23/11/2009 e já ganhou os paulistas de 2010 e 2011, a copa do Brasil 2010, a Libertadores 2011 e vai ganhar o mundial 2011. Tem sorte ou torce para o time certo? "
Obs: Foto atualizada atendendo ao pedido do Milton: sem boné.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

A viagem de formatura

Depois de tanta dedicação que todos nós tivemos na faculdade e trabalho na comissão de formatura nós fizemos uma merecida viagem de formatura. Foi mais uma oportunidade que tivemos para compartilhar uma aventura por lugares de beleza deslumbrante e pouco conhecidos pela maioria: Ubatuba, Paraty, Ipanema, Cabo Frio e Búzios. Foram tantos momentos especiais que é difícil lembrar de todos, mas vamos lá. De Ubatuba, na verdade Praia Vermelha, me lembro dos borrachudos, muitos! Dormimos na praia, não me lembro bem do motivo. De Paraty me lembro de cada rua, mas em especial dessa pequena ponte, aonde tirei uma foto do Jair e Chaverinho.
Depois de formado tive a oportunidade de voltar por duas vezes à Paraty e tirei essa foto da ponte. Cabo Frio da água fria e salgada, Praia do Forte, muito legal, ficamos hospedados num camping. Mas teve gente que não gostou muito dessa ideia de camping e mudou-se para um hotel, tudo bem, faz parte. A passagem por Búzios foi muito rápida, pois a grana era muito curta para tamanhas despesas. Depois dessa viagem vários tomaram seus rumos ainda no Rio de Janeiro e outros retornaram para Dourados. Eu nunca fiquei sabendo como foi esse final da viagem. E vocês se lembram de quais fatos da nossa viagem de formatura?


Essa é uma boa oportunidade para lembrarmos dos últimos dias que passamos juntos.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

GALOPERA

Esta não poderia faltar: Galopera. O ponto alta das nossas festas, que merecidamente recebia um bis, ou dos em espanhol. Esta Guarânia foi composta pelo paraguaio Maurício Cardozó Ocampo. Bom começo de semana.

domingo, 6 de novembro de 2011

Laranja Mecânica



Para fazer festa de formatura é necessário promover muitas atividades para arrecadar recursos. Foi o que fizemos: cinema, Agrochopp e lavoura. E começamos exibindo o filme Laranja Mecânica. Não ganhamos muito com esta primeira atividade, mas foi divertido e nos credenciou para outros empreendimentos. Mas passando alguns anos, alguém se lembra do filme? Então vamos nos lembrar.


Laranja Mecânica é um filme de Stanley Kubrick, lançado em 1971 e baseado no livro de Anthony Burgess. É uma obra original, extravagante e bastante crítica. Recebeu alguns prêmios como, Melhor Filme e Melhor Direção pela Associação dos Críticos de Cinema de Nova York e recebeu quatro indicações ao Oscar, entre elas, Melhor Filme. Click para saber mais.

sábado, 5 de novembro de 2011

Música da formatura

Já falamos várias vezes sobre a importância da música na convivência da nossa turma. Todos devem se lembrar do musical que montamos na colação de grau, quando tivemos a colaboração do Coralito, que tinha o Capanema entre seus integrantes. Vou destacar uma delas: A Primeira Estrela, de Milton Nascimento.
A música e a letra são muito bonitas e destaco uma das estrofes:

"Perdoar e fazer crescer
O bem comum, o seu trabalho, seu sustento
A emoção de ver seu filho tecer
Com a mão a cor da liberdade".


sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Jair Furlan Jr

Olá pessoal, para diminuir a saudade vou contar um pouco da minha vida pós formatura. Depois de trabalhar na Cotrijui em Caarapó, fui para São Paulo trabalhar na CAC - Cotia e depois na Monsanto, atualmente trabalho no INPEV, que promove em âmbito nacional o recolhimento e reciclarem de embalagens de agrotóxicos. Tenho dois filhos, a Cecilia e o Antônio, com 18 e 04 anos respectivamente. Moro em Vitória, no Espírito Santo, mas a minha área de atuação inclui também RJ e MG. Estarei em Dourados acompanhado por minha esposa Marcela e pelo Antônio, a Cecilia terá aula na faculdade de Ciência Política da UnB.  Estou ansioso para revê-lo e levarei o pistão.  
 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Camiseta dos 25 Anos

25 Anos de Formatura é uma data especial e precisa ser registrada. Recebemos a sugestão do Marcão, o Federal, para fazer uma camiseta comemorativa e está aí a proposta, que segue o modela da que usamos no culto, se lembram?
A camiseta será feita em malha pique branca com bordado azul e custará R$ 25,00 e por favor enviem-me um email (paulocab@gmail.com) confirmando o pedido e informando o tamanho (M, G ou GG). Eu enviarei o número da conta para depósito.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Obtuário

Eduardo Rojo Flores, o Coureiro, boliviano de Santa Cruz de la Sierra. Veio estudar no Brasil por meio do Convênio que nosso país mantêm com a Bolívia. Isso inicialmente se constituiu numa dificuldade para o Eduardo, que tinha desde do início do curso muita vocação política, mas tinha impedimento para atuar no movimento estudantil na época da ditadura. Ficou na lembrança, entre vários fatos, um acontecimento que teve ao abordar umas "meninas" na rua Joaquim Teixeira Alves, logo ele constatou que havia um probleminha. Com grande vocação musical, tocava violão e cantava em inglês, espanhol e português, chegando a compor uma música para participar do Festival Agrocanção, realizado em Curitiba durante o CONEA. Foi quando ele pronunciou a seguinte frase: “as fronteiras só existem nas cabeças das pessoas mas não no coração”. Ele fazia um grande esforço para se tornar bem brasileiro, inclusive se auto corrigindo constantemente em seu sotaque.
Nilo Sérgio Nogueira, o Negão, de Araçatuba, mesmo não tenho se formado conosco, participou ativamente de muitos acontecimentos da VI Turma. Muito confiante e simpático cativava facilmente as pessoas, especialmente as mulheres. Gostava de animais, dando-lhes nomes engraçados: tibraca, uma gatinha, bundinha e porrinha, duas cadelas. Ele tinha um grande coração, tirava a roupa do corpo para doar a uma pessoa que necessitava.

José Carlos Biscola, o Bibi, de Álvares Machado, perto de Presidente Prudente, e de Bernardes certamente um dos mais estudiosos da turma, tendo morado durante todo o tempo da faculdade no Hotel Toyo. Durante o curso fez uma cirurgia de apêndice, mas se recuperou rapidamente. Tinha facilidade tanto com a teoria como também com as práticas rurais, o que fazia dele um tirador de dúvidas da turma. Era apaixonado por fruticultura. Ele queria voltar para Machado para viver de fruticultura no sitio de seu pai.  Biscola era o único que conseguia consumir uma caneta Bic até o final, no seu estojinho sempre tinha uma para emprestar aos colegas.

Valdeci de Souza Dias, o Chaninha, apelido que ele não gostava. O apelido veio dos veteranos quando ele pediu para ser apelidado de gatinho,  então de sacanagem ficou chaninha. Vindo do Paraná transferido de outra escola, muito tranquilo logo conquistou amizades.  Um colega nosso atribuiu-lhe a seguinte frase: "vou embora dessa cidade, aqui não tem sexo". De fato, ele trancou a matrícula por um ano, depois voltou e continuou o curso com a nossa turma.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

João Mineiro e Marciano

Falando de saudades, das pessoas, dos lugares, das músicas, vamos lembrar agora de outro estilo musical: o sertanejo. No começo dos anos 80 a música sertaneja ainda era marcada pelas duplas tradicionais e a dupla João Mineiro e Marciano fez muito sucesso com o estilo sertanejo romântico. É fácil descobrir quem levou essa música para o ambiente das repúblicas: Valteci, o Mineiro. Ele sempre ouvi as músicas dessa dupla quando a saudade batia fundo no peito.