Encontro dos 25 Anos.

A VI Turma de Agronomia de Dourados completa 30 anos de formatura.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Mercedita

A memória musical da VI Turma de Agronomia de Dourados está em alta. Isso demonstra que a música esteve sempre presente nos nossos melhores momentos. Este é mais um exemplo: Mercedita.  O argentino Ramón Sixto Ríos compôs este Chamamé na década de 1940, abordando uma história de amor não correspondido. Cantada nas festas pelo Milton, alegrava a todos, que também tentavam acompanhá-lo. Esta lembrança foi enviada pelo Jair, mas como era cantada em português o Milton pediu para trocar. Vamos começar bem a semana!

domingo, 30 de outubro de 2011

Chipa Paraguaia

A chipa paraguaia, salgado de queijo, pode até não ser popular no Brasil. Mas quem prova, vira fã. Não são todas as padarias que oferecem. O salgado, feito a base de polvilho e queijo, é típico do Paraguai e, por aqui, encontrado com facilidade apenas no Mato Grosso do Sul.
Qual é a diferença do pão de queijo?
Isso é o que todos perguntam. "É muito comum a confusão, não raro no atendimento nos deparamos com clientes, geralmente de outros estados, que querem saber", diz Adriano Toscano Jr. da Padaria Toscano, em Campo Grande. "A chipa leva mais queijo", explica, lembrando que os ingredientes são quase os mesmos, mas o modo de fazer, diferente. E o formato: a chipa lembra uma ferradurinha.
O fato de ter se tornado popular no Mato Grosso do Sul faz parte da história: o estado já teve muitos imigrantes paraguaios, principalmente na época da Guerra do Paraguai. Adriano explica que a cultura deste país - assim como a do Brasil - tem influência indígena. "A nossa deliciosa chipa, feita com fécula de mandioca (o polvilho doce), leite, queijo e ovos, é conhecida no Paraguai por chipá", diz. Isso porque, claro, existem mil e uma variações do pão paraguaio.
Confira a receita:
Ingredientes:
500g de fécula (ou polvilho doce) 
125g de margarina   
250ml de leite   
320g de queijo caipira curado sem sal   
3 ovos
20g de sal

Modo de fazer:
Juntar todos os ingredientes (exceto a fécula);
Dar o ponto adicionando a fécula aos poucos;
Dividir a massa (100g) criando ferraduras e colocar em forma untada de óleo;
Levar ao forno (200 ºC) por cerca de 20 minutos, ou até ficarem levemente douradas.

FONTE: http://gnt.globo.com/receitas/Aprenda-a-fazer-a-chipa-paraguaia--salgado-de-queijo.shtml

sábado, 29 de outubro de 2011

Puchero


Alguém se lembra da nossa última prova na faculdade? Difícil essa não? Mas talvez alguém se lembrará que encomendamos um Puchero para comemorarmos essa grande conquista e que infelizmente a prova foi preparada para ser feita em grupo, fora da sala de aula e entregue no dia seguinte! Ficamos durante o noite inteira trabalhando, mas não deixamos de comer o Puchero !!! 

Receita
Ingredientes para 10 pessoas:
- 500 g de Grão de Bico
- 2 litros de Caldo de Legumes
- 1 e 1/2 Quilo de Carnes divididas em: Costela Defumada, Costelinha de Porco,Sobre Cochas de Frango, Músculo Picado e Linguiça Portuguesa.
- 1/2 Taça de Vinho Branco
- 600 g de Batatas Picadas Grosseiramente
- 300 g de Vagem picadinhas
- 1 sache com cravo, canela, semente de coentro e pimenta do reino
Modo de Preparo:
Deixe o Grão de Bico de um dia para o outro na água, escorra e reserve.
Começe a refogar todas as carnes em uma caçarola com pouquissimo óleo.
Regue então com o vinho branco, acrescente o grão de bico e o caldo de legumes até cobrir tudo, coloque o sache, abaixe o fogo e deixe cozinhar por algumas horas até o grão de bico amolecer.
Acrescente as batatas e as vagens. Acerte o sal.


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Mensagem do Osvaldo Franco

Pessoal, essa mensagem do Osvaldo Franco merece destaque:

"Estou editando um vídeo para ser passado logo após a   aula lembrança. Naquela época não havia celular e nem máquina fotográfica digital, sendo eu o único da turma que comprava filme da Kodak e tirava fotos da galera, principalmente durante as aulas práticas. Tenho umas 80 fotos e vou fazer o vídeo com duraçao de 20 minutos. Vai ficar legal e trazer muitas recordações. A propósito, você lembra da foto que está no anexo? Foi tirada em abril/86 durante aula sobre trigo lá no Panambi."

Eu só não vou mostra a foto comentada!!!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

A Kombi

Para deslocarmos para as aulas práticas, normalmente realizadas nas propriedades rurais de Dourados e dos municípios vizinhos, geralmente utilizávamos a Kombi do CEUD, tendo como motorista o sempre simpático Paulinho. Ela não era nada confortável, principalmente se comparamos com os veículos atuais, mas era sempre muito divertidos estes pequenos deslocamentos. Lembro-me de algumas dessas aulas, em especial: de tração animal em Fátima do Sul e sobre a cultura do café em Itaporã.  Muito legal!

Notícia do Japão

Pessoal, vejam as notícias do Mauro Koite: o querido Chaverinho !!!


"Oi Paulo, desculpe-me pela demora em escrever. Depois que sai de Dourados, logo em seguida fiz mestrado em Fitotecnia Vegetal em Viçosa. Fazem 20 anos fora do Brasil. Sou casado com uma japonesa e tenho uma filha chamada Karina, cursando o primario. Embora morando longe do Brasil, amo muito a minha patria. Sempre tenho lido em jornais e revistas online a respeito do que tem acontecido no Brasil.
Abracos, Mauro"

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

PONTA PORÃ



Na proposta da programação das comemorações dos nossos 25 anos de formatura está prevista uma visita a Ponta Porã. Vários colegas durante o período de moradia em Dourados devem ter recorrido ao país vizinho para comprar um destes produtos: calculadora e relógio Casio, perfume Coca e Café, tênis Chinezinho, cerveja Ouro Fino, desodorante Brut entre outros. Ponta Porã também mudou muito, inclusive suas lojas. Algumas não existem mais e outras foram ampliadas. Vale conferir.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Árvore dos 25 anos.

Vamos marcar este segundo Encontro vamos plantando uma árvore. Já fizemos isso na nossa formatura e agora isso é cada vez mais importante em função da mudança climática que preocupa a todos. Uma sugestão é o Calophyllum brasiliense Cambess, o guanandi. Veja essa matéria do Globo Rural.


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Chimarrão

Tomar chimarrão é outra característica dos alunos do curso de agronomia de Dourados, além do tereré, já relatei em outra postagem. Muitos aprenderam na marra e certamente todos queimaram a boca na primeira aula. Quem não aprendeu a fazer um bom chima pode tentar novamente assistindo este filme, que mostra uma maneira diferente de preparar a erva-mate. Alguns aprenderam e gostaram tanto dessa bebida que continuaram tomando, mostrando que chimarrão não é coisa só de gaúcho, é também de paulista. Vocês sabem de quem estou falando?

Chê Florencia

Continuando com a memória musical precisamos admitir que a nossa Turma teve muita sorte por ter uma grande animador das nossas festas: Milton. Nas noites de churrascos na Amoribunda era uma música depois da outra e uma delas estava sempre presente no ponto alto da festa.

domingo, 23 de outubro de 2011

Grupo Acaba

A música regional de Mato Grosso do Sul foi sempre um grande atrativo para nós que éramos de outros Estados. Aprendemos a gostar mais da cultura Sul-Matogrossense ouvindo suas música e certamente o Grupo Acaba contribuiu muito para aumentar essa paixão.

Sopa Paraguaia

A Sopa Paraguaia é um prato, como o nome já diz, dos nossos vizinhos paraguaios.  Apesar de chamar sopa, tem a consistência de bolo. É deliciosa e muito consumida em Mato Grosso do Sul.

RECEITA

2 cebolas grandes
2 colheres (sopa) de manteiga
5 espigas de milho
200 a 250 ml de leite
250 ml de água
4 ovos (claras em neve)
1/2 kg de queijo (caipira) 1/2 cura
1 colher (sopa) de pó royal
6 colheres (sopa) de fubá mimoso

Derreta a manteiga e doure a cebola, junte um copo de água e deixe ferver ligeiramente, reserve. Corte o milho separando do sabugo e bata no liquidificador com o leite. Despeje o milho batido sobre as cebolas já frias e mexa bem, separe as gemas e misture juntamente com o queijo ralado, o fubá mimoso e o fermento, à cebola com o milho verde. Mexa bem para ficar bem uniforme. Por último, coloque as claras em neve e incorpore-a à massa. Leva para assar em assadeira untada em forno quente.

FONTE: Cheiros & Sabores de Mato Grosso do Sul, de Iracema Sampaio, 2008.

sábado, 22 de outubro de 2011

Apelidos


Assim que chegamos na faculdade, ainda como calouro, logo recebemos nossos apelidos, que para alguns viraram um segundo nome.  Alguns deles foram mantidos durante todo o período do curso e outros se mantem até hoje. Tem gente que recebeu uma sequência de apelidos. Alguns são engraçados, outros constrangedores. Mas tudo bem, isso também fazia parte da nossa vida estudantil. Tem colega que gostou tanto dessa ideia que registrou  o próprio filho com seu apelido. Nós também colocamos apelidos nos professores, mas estes, mesmo depois da nossa formatura, não é bom revelar. Vamos lembrar então de alguns destes segundo nomes: Faquinha, Chéia, Bolinha, Macarrão, Popó, Vadinho, Cú, Sarará, Sacana, Cegonhão, Beijoca, Camila, Cabriteiro, Chaninha, Coureiro, Mineiro, Asa Dura, Negão, Kid Revolta, Toninho Malvadeza, Bambil,  Mundinho, Papa-vento, Tabaco, Gaúcho, Bassan, Biscola, Capanema, Dorô, Chaverinho, Baiano, Osvaldão, Sexta, Bagé, Robico, Serjão, Negão, Beraba, Jaó, Frô, Goiano, Anaconda, Tuchê, Federal, Melagrião, Bichadinho e Picograma..

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Proposta de Programação

Apresento uma proposta inicial e incompleta da nossa programação para os dias 09, 10 e 11 de dezembro, quando comemoraremos 25 anos de formatura no curso de Agronomia.  Precisamos saber os horários de chegada e de saída de todos. Como também precisamos de sugestões das atividades e dos locais. O pessoal que mora em Dourados certamente terá mais facilidade para apresentar sugestões. Aguardo as sugestões como comentários ou por email.


VI Turma de Agronomia de Dourados – Encontro de 25 anos
PROGRAMAÇÃO
Data
Local
Atividade
09 de Dezembro – sexta 16 horas
Aula da Lembrança
FCA
09 de Dezembro – sexta 18 horas
Plantio de árvore
Fazenda Experimental
09 de Dezembro – sexta 21 horas
Jantar
A definir
10 de Dezembro – sábado – manhã
A definir

10 de Dezembro – sábado – 12 horas
Churrasco
A definir
10 de Dezembro – sábado – 20 horas
Jantar
A definir
11 de Dezembro – domingo – manhã
Ponta Porã
Livre

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Novidades do Curso de Agronomia de Dourados

Depois de 25 anos, como estará o curso de agronomia de Dourados?

Agora ele integra a Faculdade de Ciências Agrárias da UFGD, junto com os cursos de Zootecnia e Engenharia Agrícola, criados respectivamente em 2006 e 2009. A Pós-Graduação em Agronomia conta com o curso de Mestrado, criado em 1994 e o curso de Doutorado criado em 2004. Já em  2007, foi criado o mestrado em Zootecnia. Foram criados também 3 grupos PET (Programa de Educação Tutorial), programa este ligado à SESU-MEC, sendo Agronomia (desde 1996), Zootecnia (desde 2007) e Engenharia Agrícola (desde 2010). Os bolsistas (12 de cada curso) realizam atividades de pesquisa, extensão e ensino, com o intuito de melhoria do curso de graduação onde estão inseridos. O corpo docente é formado por  50 Doutores (alguns já possuem título de pós-doutorado). São 18 técnicos entre administrativos e de laboratório, sem contar os da Fazenda Experimental. Alguns técnicos já possuem mestrado. Todos têm formação universitária.
As instalações foram significativamente ampliadas. O curso de agronomia foi ampliado para 5 anos e a cada ano entram 50 alunos, oriundos de várias partes do Brasil. Com a chegada da UEMS e dos demais cursos da UFGD o campo experimental foi transferido para Fazenda Experimental de Ciências Agrárias (FAECA), cerca de 7 km da Unidade II da UFGD. O antigo CEUD passou a ser a Unidade I
O ESAI (Escritório de Assuntos Internacionais) da UFGD tem propicioado inúmeros intercâmbios. Vários alunos da agronomia cursaram um ou dois semestres fora do país.
Muitas mudanças vieram nestes 25 anos e para melhor. 

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Acontecimentos em Dourados.

Já nos anos 80 Dourados frequentava os noticiários nacionais, normalmente em função do contrabando e do tráfico de drogas. Mas recentemente a motivação mudou, agora ela é principalmente política. A questão indígena continua: suicídio, morte de crianças e assassinatos. E essa população continua pedindo pão velho na porta das casas. Depois de dois mandatos do ex-professor de Geografia do CEUD, Laerte Tetila - PT, era esperada uma mudança no comportamento político da população, mas pelo contrário foi eleito o populista Ari Artuzi - PDT, ex-deputado estadual. Dois anos à frente do governo municipal foram suficientes para provocar duas operações da Política Federal, Owari e Uragano, levando à prisão 42 pessoas acusadas de fraudes em licitações para desviar dinheiro público. O prefeito foi cassado e nova eleição foi realizada. O caso mais recente refere-se a aplicação de R$ 1,8 milhão do Ministério da Saúde em obras exatamente para as aldeias indígenas de Dourados. Infelizmente esta situação deve permanecer por algum tempo nos noticiários. 

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Agricultura em Dourados 25 anos depois.


E a agricultura em Dourados 25 anos depois, como estará? Ela é cada vez mais diversificada. Aumentou a produção de aves e suínos, merecendo destaque a piscicultura, que recebeu do Território da Cidadania, um programa do governo federal, um entreposto regional aquicula que certamente irá estimular a produção e o consumo de peixe. A área plantada continua praticamente a mesma, ainda bem, pois o crescimento agora é da produtividade. 
Houve expansão da área plantada nos municípios vizinhos e para outros mais distantes, como São Gabriel do Oeste e Chapadão do Sul. 

O trigo praticamente foi substituido pelas safrinhas de milho e soja e a novidade agora é a cana-de-açúcar, que está fazendo de Dourados um pólo regional desta cultura. A UEPAE de Dourados agora é Centro de Pesquisa Agropecuária do Oeste, atuando em MS, MT e parte de SP e PR. A tão esperada fruticultura ainda não se tornou realidade, mas o plantio direto já é uma prática corrente. A agricultura familiar finalmente ganhou o reconhecimento tão esperado. 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Fatos marcantes

Vamos comemorar os 25 anos que se passaram depois da nossa formatura, mas o período que estivemos na faculdade foi igualmente marcante. Para a maioria foram quatro anos intensos, com tantas aulas, trabalhos e provas parecia ser mesmo interminável. O contato permanente com a turma e a dedicação com a formação acadêmica contribuíram para que alguns acontecimentos ficassem marcados para sempre na memória e esperando que ela não me traia vou relacionar alguns destes fatos marcantes:
1983: A chegada. Desde da viagem para Dourados, que conheci ao fazer a matrícula, até a hospedagem na Pensão da Dona Rosa, aonde conheci o Robson, outro calouro goiano;
1983: Morte de Marçal de Souza. O líder indígena guarani, reconhecido internacionalmente, assassinado por defender os direitos de seu povo, especialmente a demarcação de suas terras;
1984: Estágio na ESALQ. O estágio no Curso de Genética e Melhoramento de Plantas, com o Professor Ciro Paulino da Costa, por indicação do colega Jair, tendo participado também o colega Elvis. Ficamos na casa do estudante mas fomos muito bem acolhidos em Piracicaba pelo colega Manuel; 
1984: Diretas Já. Ao passar por Campinas vi o quanto estava forte a campanha pelas eleições diretas em São Paulo, despertando-me para a participação política;
1984: Agronomiades. Participar deste evento esportivo nacional dos cursos de agronomia, junto com o Mineiro e Jair, fortaleceu a nossa organização política estudantil;
1985: CNPAF. Estágio de férias no Centro Nacional de Pesquisa do Arroz e Feijão, em Goiânia, também por indicação do Jair,  na companhia do colega Eduardo;
1985: Brasiguaios. Retorno dos Brasiguaios para o Brasil em busca da reforma agrária prometida pela Nova República. Visitamos o grande acampamento em Eldorado, unto com o professor Egon e o colega Robson;
1985: CAAD. Segunda vez na diretoria do Centro Acadêmico, agora com a chapa Roda Viva.
1986: CONEA de Curitiba. Foi quando assumimos a FEAB Nacional junto com os colegas David, Mineiro, Jair, Rozilene e Eduardo.
1987: III EBAA e CONEA de Belém. Dois grandes e importantes eventos, marcando a nossa luta pela mudança do modelo da agricultura, defendendo o que hoje se consolidou como agroecologia.  

E para vocês, quais foram os fatos marcantes?

domingo, 16 de outubro de 2011

sábado, 15 de outubro de 2011

Parabéns Professores e Professoras

Na nossa formatura fizemos homenagens aos professores quando escolhemos dois deles como paraninfo e nome da turma. Alguns eram jovens como nós e a maioria certamente era muito idealista. Compartilhamos o sonho de transformar o curso de agronomia de Dourados em um dos melhores do País, e acho que isso se tornou realidade. Vários ainda continuam trabalhando como professores da atual Faculdade de Ciências Agrárias da UFGD. Outros se tornaram escritores, chefes, amigos e colegas. Alguns já enviaram seus comentários sobre a VI Turma e certamente será um grande prazer reencontrá-los em Dourados. A todos e todas nossos agradecimentos.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Nome da Turma


Possui graduação em Agronomia pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal (1978) , especialização em Rice Cultivation pela Uchihara International Agricultural Training Center (1980) , mestrado em Produção Vegetal pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal (1985) e doutorado em Produção Vegetal pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal (1998) . Atualmente é Professor 3o. grau da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tem experiência na área de Agronomia , com ênfase em Fitotecnia.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Paraninfo


Nestor Antonio Heredia Zarate
Possui graduação em Ingenieria Agronómica - Universidad de Guayaquil (1972), mestrado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (1980), doutorado em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (1987) e Pós-doutorado junto à Universidade de Maringá (2009). Atualmente é professor associado 2 da Universidade Federal da Grande Dourados e Bolsista Produtividade em Pesquisa nivel 1D do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Tratos Culturais, atuando principalmente nos seguintes temas: Taro (Colocasia esculenta), mandioquinha-salsa (Arracacia xanthorrhiza), mangarito (Xanthosoma maffafa), araruta (Maranta arundinaceae), dentre outras, além de trabalhar com plantas medicinais, hortaliças convencionais, resíduo orgânico, amontoa e pós-colheita.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Ilex paraguariensis

Uma guampa, uma bomba, erva mate, água gelada e às vezes limão, está pronto o tereré: simples assim.  Junte o calor de Dourados e o papo rola solto. Essa é uma das primeiras experiências de quem é novo em Mato Grosso do Sul. E muitos levaram consigo essa tradição e felizmente hoje é possível comprar erva de tereré em vários Estados. Os estudantes de Dourados faziam sucesso no CONEA com seu mate gelado. Havia até a Turma do Tereré, que se reunia próximo ao restaurante para tomar muito tereré. Você se lembra quem fazia parte dessa turma?

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O que mudou em Dourados?

Dourados, 25 anos depois, certamente muitas mudanças aconteceram, por exemplo:
Não existe mais: Supermercados Catarinense e Moreira, Buxexa, Pizzaria Guarujá, Panela Preta, Ubiratan Futebol Clube, Danceteria Degrau, Bar Bay, Cine Ouro Branco, Casa das Máquinas e Cotrijuí.
Ainda existe: Kikão, Clube Indaiá, FM Grandourados, Comid, Jornal O Progresso, Expoagro. A Festa Junina ainda existe, mas é muito diferente. A feira da rua Cuiabá continua no mesmo lugar.
Novidades: Shopping Avenida Center, UFGD, que ficou no lugar da UFMS, a UEMS,  além do Atacadão e o Extra.

domingo, 9 de outubro de 2011

Comissão Organizadora

Nesta foto estão três dos quatro membros da auto-intitulada Comissão Organizadora do Encontro de 25 anos da VI Turma de Agronomia de Dourados. Da esquerda para direita: Mineiro, Jair e Paulo Guilherme, está faltando o David. Mas certamente muitos outros são importantes para tornar realidade este sonho, especialmente os colegas que moram em Dourados. A lembrança dos 25 anos foi do Mineiro e o Jair é o mais motivado. Vejam a lista que está na placa de formatura:
Abrahão Malulei Neto
Antônio Corrêa de Oliveira Filho
Arcelei Lopes Bambil
David Lourenço
Eduardo Rojo Flores - In Memoriam
Elvis Gutierrez Ribeiro
Ênio Rieli Toniasso
Edmundo Tibúrcio O. Lopez
Fernando Cesário C. Rodrigues
Ivo Flávio Santos Sabala
Jair Furlan Júnior
João Bosco Araújo Teixeira
João Carlos Lima Bortolin
Jorge Shuichi Abe
José Carlos Biscola Tavares  - In Memoriam
Leocádia Ribeiro E. Silva
Manoel Avelino de C. Oliveira
Márcio Chaves da Silva
Márcio Luiz Giurizatto
Marcos Aurélio Farinazzo
Marcos Rogério Pagani
Maria das Dores Zocal Krug
Mauro Koiti Shioji
Milton Ferreira dos Santos
Nelson Vicente de Almeida Filho
Newton Yomei Fujii
Nilson Roberto Teixeira
Osvaldo de Oliveira Franco
Osvaldo de Souza Carbonari
Paulo Alberto Konrath
Paulo Guilherme F. Cabral
Paulo Peitl
Robson Luís de Morais
Rozilene Bertipaglia Gimenez
Sérgio de Matos Lopes
Valdeci de Souza Dias - In Memoriam
Valteci Ribeiro de Castro Júnior
Verane Silva de Souza
Wilson Geraldo Pereira Júnior

sábado, 8 de outubro de 2011

Donana

Você deve estar se questionando: O que o Tabaco, personagem de Osmar Prado na novela Roda de Fogo (1986) está fazendo neste blog? Pois bem, esta é uma homenagem às empregadas de todas as Repúblicas. Elas quase substituíram nossas mães! Foi o caso da Donana, que trabalhou durante anos na Amoribunda. Ela apelidou um colega nosso de Tabaquim, porque, segundo ela, ele tinha um comportamento semelhante ao do personagem de Osmar Prado.
Mas quem será então este nosso colega ? Não vai faltar candidatos, acredito.

As surpresas da vida.


Você pode imaginar quem é o autor desta escultura? Difícil não. Pois saiba que esta obra foi feito por um agrônomo, formado em 1986, em Dourados. Assim como ele, muitos de nós fazemos muitas outras coisas. Nós estávamos certos quando lutamos muito para que o currículo da agronomia fosse eclético, pois o potencial humano é ilimitado e a nossa profissão muito dinâmica. O nosso encontro de 25 vai nos permitir rever amigos e saber um pouco de suas vidas. Certamente teremos muitas surpresas.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

CAAD na luta !!!


Estava procurando uma foto do CAAD, nosso Centro Acadêmico da Agronomia de Dourados e encontrei algo melhor: o blog ! http://caadufgd.blogspot.com/
É muito bom saber que os companheiros continuam na luta, certamente as reivindicações são outras, mais atualizadas, mas a participação estudantil continua sendo fundamental para a melhoria da qualidade do ensino e para colocar a Universidade ao lado dos agricultores familiares.
Parabéns.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

25 anos depois.


Os quatro anos de faculdade pareceram intermináveis em alguns momentos. Já os 25 anos que se passaram depois da nossa formatura... parece que foi ontem! Fizemos muito nos quatro anos de faculdades. Cada aula, cada intervalo, cada férias, estágio, viagem, tudo foi muito intenso. Aprendemos e vivemos juntos cada lição e levamos tudo isso para as nossas vidas, para os outros 25 anos. Agora queremos renovar as energias, rever os lugares, os amigos, para construir novos tempos, novos caminhos. Vamos juntos !